SALSIFI INVESTMENTS
  

A política monetária e o cachorro de Pavlov

João Basilio Pereima Neto - 18/03/2009
 


 

O mundo que o Copom está vendo, em termos de política monetária, é produzido por suas próprias mentes

O corte de 1,5 pontos na Selic em 11 de março é como um choque de 1,5 volts. Faz cócegas mas não muda o comportamento dos agentes. Dado o nível em que o BC opera a política monetária, um corte relativo de 11,7% no nível da taxa de juros não é capaz de mover a economia para outra trajetória. Em meio à maior crise econômica do século, a política monetária continua contracionista.

A única no mundo a fazer isso. O consumo e o investimento seguirão a tendência de queda, talvez agora mais violenta. Dentre estas duas variáveis macroeconômicas, o consumo representa 62% do PIB brasileiro e o investimento 18%. Embora dominante, o consumo é uma variável macroeconômica estável. O investimento, embora menor, é o componente de demanda agregada mais volátil. Enquanto o consumo subiu 5,7% em 2008, o investimento aumentou 14,8% (IBGE). No último trimestre de 2008 o consumo caiu 1,0% e o investimento 9,3%. E a política monetária em curso é inócua para conter a tendência de queda. A recessão vai se agravar ao longo de 2009 por culpa do Banco Central. Mas o que assusta é que o corte de 1,5% pontos está sendo visto como reação "agressiva".

Somente Pavlov pode explicar a interpretação e o comportamento da diretoria do Copom na condução da política monetária. E somente Pavlov pode explicar as opiniões dos analistas, mais conservadores que o próprio conservadorismo do BC. As recentes declarações do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, de que a redução da taxa de juros deve ser feita "com responsabilidade", deve ser aplicada ao pé da letra, a começar pelo próprio presidente, pois as decisões que foram tomadas nas últimas três reuniões foram de uma irresponsabilidade sem precedentes. Se restava alguma esperança do país de fazer funcionar a política monetária, recuperar o terreno perdido e evitar uma série de problemas fiscais e instalação da recessão no Brasil, no dia 11 de março ela foi definitivamente enterrada.

A explicação de Pavlov: Ivan Petrovich Pavlov foi um fisiologista russo que ganhou o Prêmio Nobel de medicina em 1904 por suas pesquisas sobre o papel do condicionamento na psicologia do comportamento. Sua teoria, que veio à tona em 1920, foi elaborada a partir da experiência conduzida em cachorros. Pavlov expôs vários cachorros a vários estímulos diferentes, coletando suas salivas num tubo implantado cirurgicamente na boca do animal.

Comparando os resultados, constatou que a salivação dos cachorros aumentava por estímulos em situações onde, anteriormente, elas não ocorriam. Os cachorros passaram a salivar quando expostos ao canto de pássaros e outros estímulos, por exemplo. Pavlov viu então que o comportamento podia ser manipulado, criando assim a teoria do comportamento condicionado.

Essa é a base de conhecimento que as escolas de adestramento de animais utilizam até hoje. É também a base para desenhar propagandas, largamente utilizadas por fábricas de cigarros, bebidas alcoólicas etc., que bombardeiam os consumidores com imagens sedutoras e locais paradisíacos. O indivíduo é condicionado a sentir um prazer semelhante, mesmo quando fumando num banheiro público. Cessada a experiência real, o indivíduo continua a sentir as mesmas sensações quando é excitado por algum estímulo. Este é um ponto importante da psicologia de Pavlov. Vemos e sentimos como se estivéssemos diante de uma realidade que não existe mais. O indivíduo sente e vê aquilo que imagina em sua mente.

É isso que está acontecendo no laboratório do BC. A noção de dosagem da política monetária tem sido vítima do mesmo fenômeno. Através de um condicionamento negativo, de tanto bater nas expectativas com variações homeopáticas de 0,25 e 0,5 ponto, o BC conseguiu adestrar as mentes, condicionando-as a sentir pavor quando se depara com um corte de um ponto, a ponto de se chamar isso de política monetária "agressiva".

O pior de tudo é que o próprio BC foi vítima do tratamento a que submeteu os agentes. Na métrica de suas mentes, os diretores do Copom não conseguem conceber como normal, variações de 20% a 30% da taxa de juros. O Chile baixou sua TPM (não é que o você está pensando, é taxa da política monetária) de 8,25% em dezembro de 2008, para 5,88% em fevereiro de 2009, um corte de 28,7%. Não houve nenhuma comoção no sistema financeiro, o governo continua a rolar seus títulos e a economia está respondendo melhor à crise. Os países desenvolvidos já cortaram em 80% suas taxas de juros desde o início de 2008, chegando a quase zero em termos nominais. Só aqui o pânico irracional existe.

A interpretação do que é uma política monetária está sendo feito por mentes caninas, que sofreram um auto-adestramento. As visões estão obtusas. Com o corte de 1,5 pontos, o BC olha para a direção correta. O problema é que não enxerga a verdadeira realidade à frente. O mundo que a diretoria do Copom está vendo, em termos de política monetária, é um mundo produzido por suas próprias mentes e que só existe dentro delas. Algo parecido com o mundo de espionagem e personagens fictícios que habitava a mente de John Forbes Nash, o brilhante matemático ganhador do Nobel em Economia de 1994, que sofria de esquizofrenia.

Há muitas razões técnicas que justificam a necessidade de um corte maior dos juros. Elas são vastamente conhecidas e não há dificuldade em reconhecer as razões quantitativas e teóricas na gestão da política monetária. A política monetária no Brasil não é mais uma questão técnica ou de economia teórica e empírica. É um problema de economia política. E mais do que economia política, é um problema de psicologia, próximo à uma patologia.

O risco de repetir linearmente "estratégias que deram errado no passado" está aumentando. Ao tentar manter a reputação suadamente construída, o BC está destruindo-a. Tendo em vista que o comportamento demora em ser condicionado, cada vez mais cresce o sentimento de que, não mudando a forma de pensar das mentes, deva-se mudar as próprias mentes. Não por questões ideológicas, mas de sobrevivência.

João Basilio Pereima Neto é professor de Macroeconomia e vice-chefe do Departamento de Economia da UFPR. joaobasilio@ufpr.br



Escrito por SALSFI às 07h50
[] [envie esta mensagem]


 
  

Produção brasileira de aço cai 42% no bimestre, mostra IBS

Valor Online

17/03/2009 15:05


 Um dos setores mais afetados pela crise econômica, a produção nacional de aço bruto somou 3,27 milhões de toneladas no primeiro bimestre deste ano, uma queda de sonoros 42,4% em relação ao mesmo período de 2007. O desaquecimento de setores como a construção civil e a indústria automobilística, grandes consumidores de aço, explica boa parte do resultado apresentado pelas siderúrgicas.

O maior tombo, de 55,5%, foi observado no segmento de aços planos, cuja produção ficou em 1,131 milhão de toneladas nos dois primeiros meses deste ano. Já a fabricação de aços longos, mais usados na construção civil, recuou 41,3%, para 1,022 milhão de toneladas. Essas duas categorias formam o chamado grupo de aços laminados, que apresentou queda de 49,7%, para 2,154 milhões de toneladas.

No mesmo intervalo de comparação, o segmento de produtos semi-acabados registrou queda de 29,3% na produção, que ficou em 708,1 mil toneladas.

Se considerado apenas o mês de fevereiro, a queda foi mais amena, apesar de seguir bastante acentuada. A produção total de aço bruto somou 1,654 milhão de toneladas, um declínio de 39% ante o mesmo mês de 2008.

Preliminares, os dados foram divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS).

(Murillo Camarotto | Valor Online)



Escrito por SALSFI às 07h44
[] [envie esta mensagem]


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO
 11/09/2016 a 17/09/2016
 06/09/2015 a 12/09/2015
 18/01/2015 a 24/01/2015
 09/11/2014 a 15/11/2014
 26/10/2014 a 01/11/2014
 15/06/2014 a 21/06/2014
 06/04/2014 a 12/04/2014
 02/02/2014 a 08/02/2014
 13/10/2013 a 19/10/2013
 12/05/2013 a 18/05/2013
 21/04/2013 a 27/04/2013
 10/03/2013 a 16/03/2013
 10/02/2013 a 16/02/2013
 25/11/2012 a 01/12/2012
 29/07/2012 a 04/08/2012
 22/07/2012 a 28/07/2012
 08/04/2012 a 14/04/2012
 29/01/2012 a 04/02/2012
 11/09/2011 a 17/09/2011
 04/09/2011 a 10/09/2011
 28/08/2011 a 03/09/2011
 24/07/2011 a 30/07/2011
 10/07/2011 a 16/07/2011
 03/07/2011 a 09/07/2011
 29/05/2011 a 04/06/2011
 08/05/2011 a 14/05/2011
 17/04/2011 a 23/04/2011
 03/04/2011 a 09/04/2011
 27/03/2011 a 02/04/2011
 13/03/2011 a 19/03/2011
 06/03/2011 a 12/03/2011
 20/02/2011 a 26/02/2011
 06/02/2011 a 12/02/2011
 19/12/2010 a 25/12/2010
 05/12/2010 a 11/12/2010
 31/10/2010 a 06/11/2010
 12/09/2010 a 18/09/2010
 22/08/2010 a 28/08/2010
 01/08/2010 a 07/08/2010
 04/07/2010 a 10/07/2010
 27/06/2010 a 03/07/2010
 09/05/2010 a 15/05/2010
 02/05/2010 a 08/05/2010
 18/04/2010 a 24/04/2010
 11/04/2010 a 17/04/2010
 04/04/2010 a 10/04/2010
 28/03/2010 a 03/04/2010
 21/03/2010 a 27/03/2010
 14/03/2010 a 20/03/2010
 31/01/2010 a 06/02/2010
 24/01/2010 a 30/01/2010
 22/11/2009 a 28/11/2009
 25/10/2009 a 31/10/2009
 11/10/2009 a 17/10/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 03/05/2009 a 09/05/2009
 19/04/2009 a 25/04/2009
 22/03/2009 a 28/03/2009
 15/03/2009 a 21/03/2009
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 22/02/2009 a 28/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 11/01/2009 a 17/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 19/10/2008 a 25/10/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 10/08/2008 a 16/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 23/04/2006 a 29/04/2006
 09/04/2006 a 15/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 19/06/2005 a 25/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005
 24/04/2005 a 30/04/2005
 20/03/2005 a 26/03/2005
 13/03/2005 a 19/03/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005
 06/02/2005 a 12/02/2005
 23/01/2005 a 29/01/2005
 16/01/2005 a 22/01/2005
 19/12/2004 a 25/12/2004
 28/11/2004 a 04/12/2004
 21/11/2004 a 27/11/2004
 14/11/2004 a 20/11/2004
 07/11/2004 a 13/11/2004
 31/10/2004 a 06/11/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004



OUTROS SITES
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 ARTIGOS ECONÔMICOS
 CRÔNICAS E ARTIGOS


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!