SALSIFI INVESTMENTS
   OS CARAS DE PAU NO PODER

LULA E AS HIDRELÉTRICAS

 

Salvador Sícoli Filho - 16/08/06

 

Depois de 4 anos voando de avião novo e nas águas do dolce far niente,  o governo tem o desplante de acordar com sua eterna mania de se apropriar do óbvio e gargantear pelos cotovelos. Não se construiu nenhuma barragem nesse incrível reinado da hipocrisia e da corrupção.  Agora o presidente diz que vai mandar fazer o que a sua cegueira ou inaptidão levou 4 anos para entender.

 

Por causa de despreparados no poder o país engatinhou no auge do crescimento mundial e agora, já em 2009, se crescermos um pouco mais, cairemos nas sombras de um novo apagão. Será herança maldita ou atestado da burrice daqueles que nunca administraram nada na vida? E ainda há "empresários" que apóiam essa catastrófica desventura.



Escrito por SALSFI às 23h35
[] [envie esta mensagem]


 
   BOLSAS AMERICANAS : NOVO TOPO EM 3 MESES

ATTENTION, PLEASE

 

Index Value:

 

 

11,327.12

Trade Time: 4:04PM ET
Change: Up 96.86 (0.86%)
Prev Close: 11,230.26
Open: 11,224.91
Day's Range: 11,224.91 - 11,340.80
52wk Range:

10,098.20 - 11,709.10

 

[Chart]
1d  5d  3m  6m  1y  2y  5y  max 

Symbol Last Change
Dow 11,327.12 Up 96.86 (0.86%)
Nasdaq 2,149.54 Up 34.53 (1.63%)
S&P 500 1,295.43 Up 9.85 (0.77%)
10-Yr Bond 4.871% Down 0.06
NYSE Volume 2,554,570,000
Nasdaq Volume 2,160,457,000


Escrito por SALSFI às 23h24
[] [envie esta mensagem]


 
   BOLSA SINALIZA RECUPERAÇÃO COM VOLUME ELEVADO

Mercados: Bolsa sobe 1% após dados dos EUA e gira R$ 4,2 bi

Valor Online - 16/08/2006 18:19

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a fechar em alta nesta quarta-feira, depois que indicadores de inflação e atividade dos Estados Unidos reforçaram a perspectiva de fim do ciclo de altas no juro primário americano. A reação positiva de Wall Street a tais números sustentou o tom positivo no pregão local, apesar da volatilidade provocada pelos vencimentos dos contratos futuros do Ibovespa e das opções sobre o índice, que também ajudaram a inflar o volume financeiro local.

No término das operações, o Ibovespa subiu 1,02%, aos 37.677 pontos, após oscilar da mínima de 37.209 pontos a máxima de 37.697 pontos. O giro atingiu R$ 4,2 bilhões.

O Departamento de Trabalho dos Estados Unidos divulgou hoje que o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) americano subiu 0,4% em julho, em linha com as projeções de muitos agentes financeiros. O núcleo do indicador, que elimina o comportamento dos preços de alimentos e energia, subiu 0,2%, depois de quatro meses de elevação de 0,3%, ficando abaixo das estimativas.

No mesmo sentido, a produção industrial americana avançou 0,4% no mês passado ante expectativa de incremento de 0,5% a 0,6% no período. E o índice de construção de moradias naquele país recuou 2,5% em julho, para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 1,8 milhão de imóveis residenciais. Foi a quinta baixa nos últimos seis meses. Muitos economistas aguardavam uma leitura de 1,81 milhão a 1,82 milhão de casas.

O cenário externo ajudou na continuidade do movimento positivo já registrado na terça-feira, por conta do dado de inflação ao produtor dos Estados Unidos, observou o gerente de renda variável do Banco Votorantim, Pedro Thomazoni. Aumentou a probabilidade de o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) não subir mais os juros, disse. Em Wall Street, o índice Dow Jones subiu 0,86 % e o S & P 500 avançou 0,77%.

Aliado ao indicador de inflação ao produtor, divulgado na véspera, os dados conhecidos nesta quarta-feira indicaram a chance de um cenário mais tranqüilo para a inflação nos Estados Unidos e, conseqüentemente, para os juros americanos, reforçou o analista da Prosper Gestão de Recursos Gustavo Barbeito Lacerda. "Sinalizaram uma chance maior para o fim no aperto monetário promovido pelo Fed", explicou.

E a estabilidade do juros nos Estados Unidos pode aumentar novamente o apetite para ativos de maior risco, entre eles, as bolsas de países emergentes, categoria em que está o Brasil, disse o analista, justificando a reação positiva do mercado brasileiro.

O pregão brasileiro também foi marcado pelos vencimentos dos contratos de Ibovespa negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F) e das opções sobre o índice. Tais operações causaram o aumento expressivo do volume financeiro e a forte volatilidade do dia, disse Thomazoni. "Tudo normal em dia de vencimento", completou Barbeito.

No campo corporativo, as ações da TIM Participações e da Vivo lideraram as altas dos Ibovespa. Segundo os analistas Guilherme Marins e Alexandre Garcia, da Corretora Ágora, as ações da Vivo subiram por conta de apostas sobre o controle da empresa. A avaliação é de que a entrada da Telmex no capital da Portugal Telecom pode indicar um interesse do grupo mexicano, já controlador da Claro, pela rival Vivo.

Outra possibilidade aventada é que a Telefónica compre a parte da Portugal Telecom no bloco de controle da Vivo, o que fez disparar também as ações preferenciais da Telesp, operadora de telefonia fixa do grupo espanhol (+5,06%, a R$ 51,90).

Thomazoni, do banco Votorantim, lembrou que os papéis da Vivo vêm subindo desde a última sexta-feira, depois que a Telmex informou ter adquirido participação de 3,406% do capital da Portugal Telecom. E o vencimento pode ter potencializado a alta, acredita o analista.

No fechamento, as ações ON da TIM Participações subiram 9,80%, para R$ 8,40, seguida pelas preferenciais da Vivo, com acréscimo de 8,69%, para R$ 6,25; e das preferenciais da TIM Participações, com avanço de 8,45%, para R$ 6,03.

(Paula Laier | Valor Online. Colaborou Talita Moreira, do Valor Econômico)



Escrito por SALSFI às 23h10
[] [envie esta mensagem]


 
   A PROPOSTA DA TECK COMINCO

Teck Cominco elevou sua aposta na disputa pela companhia. A mineradora canadense, maior produtora mundial de zinco, melhorou sua oferta, que venceria hoje. Ela propôs pagar cerca de 89 dólares canadenses por ação - o equivalente a US$ 17,8 bilhões - e elevou a oferta em dinheiro de 46% para 80% do total, com o restante em ações. A proposta é válida até o próximo dia 30. "É a melhor e a última oferta a ser realizada", informou a empresa em comunicado.

Para fazer frente à proposta brasileira, cujo maior atrativo é o pagamento integral de US$ 17,7 bilhões em dinheiro, a Teck anunciou que vai captar até US$ 5,1 bilhões. A Vale não quis comentar a oferta de sua rival. Cálculos preliminares indicam que a empresa brasileira precisaria desembolsar US$ 600 milhões a mais para empatar com a nova oferta da Teck, estima o analista de mineração da Fator Corretora, José Alberto Baltieri.

Os conselheiros da Inco pareciam estar convencidos, antes da nova proposta, de que a oferta da Vale poderá ser mais vantajosa que as da mineradora americana Phelps Dodge, que também está na disputa, e da Teck Cominco. O conselho de administração da Inco autorizou a direção a negociar com a Vale, sob o argumento de que a oferta brasileira tem chance de evoluir para o que consideram "uma proposta superior".

Na segunda-feira a Vale formalizou sua oferta de compra à comissão de valores mobiliários canadense. Ela será válida somente no caso de a empresa conseguir adquirir pelo menos 66% dos papéis da Inco. As ações ordinárias da Vale na Bovespa caíram 1,78% e as preferenciais, 1%, como resultado da nova oferta da Teck.



Escrito por SALSFI às 21h58
[] [envie esta mensagem]


 
  

Inco abre negociação com a Vale e Teck eleva oferta

No mesmo dia em que a canadense Inco, segundo maior produtora de níquel do mundo, abriu as portas para iniciar as negociações sobre a oferta de compra de US$ 17,7 bilhões feita pela Vale do Rio Doce, a Teck Cominco elevou sua aposta na disputa pela companhia. A mineradora canadense, maior produtora mundial de zinco, melhorou sua oferta, que venceria hoje. Ela propôs pagar cerca de 89 dólares canadenses por ação - o equivalente a US$ 17,8 bilhões - e elevou a oferta em dinheiro de 46% para 80% do total, com o restante em ações.

Escrito por SALSFI às 21h52
[] [envie esta mensagem]


 
   A OFERTA DA VALE PELA INCO

A PROPOSTA DA VALE PELA INCO

A oferta da CVRD ao preço de Cdn$ 86,00 por ação da Inco, permitirá aos acionistas da Inco realizar integralmente em dinheiro o potencial de crescimento da empresa sem incorrer em nenhum risco.

A aquisição será financiada através de uma linha compromissada de financiamento (committed bridge loan facility) de dois anos com quatro grandes bancos de primeira linha: Credit Suisse, UBS, ABN AMRO e Santander. A CVRD espera substituir este financiamento com um pacote de financiamento de longo prazo num período de até 18 meses após a conclusão da transação proposta.

A CVRD continua firmemente compromissada a manter seu grau de investimento. Preservaremos a flexibilidade financeira após a transação e continuaremos buscando a melhoria da nossa classificação de risco, de modo a minimizar o custo de capital.

Maiores detalhes da oferta serão incluídos na oferta oficial de aquisição e em documentos que serão enviados aos acionistas da Inco. A CVRD está requisitando formalmente a lista dos acionistas da Inco para lhes enviar a oferta de aquisição e demais documentos o mais breve possível.

 

 

A CVRD espera lançar formalmente esta oferta em anúncios em jornais na segunda-feira, 14 de agosto de 2006. A oferta estará aberta para adesão por 45 dias após o envio da oferta formal por correio e nenhuma ação ordinária da Inco será adquirida e paga conforme a oferta, a menos que, na data em questão, todas as condições da oferta sejam satisfeitas ou retiradas.

A conclusão da oferta estará sujeita a um número suficiente de ações que tenham aceito formalmente a oferta de modo que a  CVRD possua pelo menos 66,67% de todas as ações ordinárias da Inco, baseado em critério de diluição total. A oferta também está condicionada ao recebimento de todas as aprovações regulatórias necessárias, ausência de processos, inexistência de mudança material na Inco e outras condições determinantes.

A CVRD ainda não manteve contato com os administradores da Inco, mas gostaria de ter  oportunidade de trabalhar com a empresa de modo a assegurar o sucesso da transação.

O diretor-presidente da CVRD, Roger Agnelli, comentou: “Esta é uma excepcional oportunidade para a CVRD. As operações das duas companhias são complementares e sua combinação irá aumentar a capacidade de nos beneficiar das rápidas mudanças no cenário da indústria global de mineração e metais”.

“Estamos confiantes a respeito do enorme potencial para criação de valor. A CVRD é a melhor opção para maximizar o valor dos ativos da Inco. Para os acionistas da Inco, a oferta integralmente em dinheiro oferece uma oportunidade muito atrativa de realizar



Escrito por SALSFI às 07h12
[] [envie esta mensagem]


 
  

Só bancos europeus apóiam a Vale

14/08/2006

Raquel Balarin

Bancos americanos ficaram de fora do pacote de empréstimos para a Vale do Rio Doce porque a maior parte das instituições está comprometida com as várias ofertas de aquisição de mineradoras canadenses. O JP Morgan, por exemplo, está com a Xstrata. O Citi, com a Phelps Dodge; a Merrill Lynch, com a Teck Cominco e o Goldman Sachs e o Morgan Stanley com a Inco. Quatro bancos europeus se comprometeram a financiar a Vale na aquisição da Inco: os suíços Credit Suisse e UBS, o espanhol Santander e o holandês ABN Amro. Cada um deles deve conceder um empréstimo de US$ 4,5 bilhões, com prazo de dois anos.

O desenho da operação de oferta da Inco pela Vale, anunciada na sexta-feira, foi levada à mineradora brasileira pelo banco Credit Suisse, em 17 de maio. Como o volume da operação era muito grande, outras instituições financeiras foram chamadas a participar da oferta. Para os bancos, o fato de a Vale ter feito uma proposta 100% em dinheiro representa uma vantagem sobre os seus concorrentes.

Já na sexta-feira, a Vale começou a esclarecer as agências de classificação de risco sobre os impactos da oferta em seu balanço, depois que algumas delas divulgaram que haviam colocado o rating da companhia em observação, com a perspectiva de reduzir a classificação caso a aquisição seja bem-sucedida. Se perder o rating de "investment grade"? (investimento seguro), o custo de captação da Vale pode subir. Para José Olympio Pereira, responsável pela área de banco de investimento do Credit Suisse, isso não deve acontecer. "Primeiro, porque as agências não baixam o rating imediatamente e a Vale terá tempo para mostrar que a aquisição não tem um impacto tão significativo em seu endividamento e segundo porque a perspectiva é de que, em três anos, combinados os fluxos de caixa de Vale e Inco, seja possível pagar a aquisição", afirmou. Outro fator externo que pode ter um peso favorável à Vale é a possível elevação do rating do Brasil a "investment grade". No mercado acredita-se que isso possa ocorrer já no ano que vem ou no início de 2008.

A Vale tem hoje um endividamento baixo, o que contribuiu para que a companhia obtivesse o investment grade. A relação entre a dívida e a geração de caixa operacional (Ebitda, na sigla em inglês, ou lajida, em português) é inferior a 0,5. Com a aquisição, a dívida total sobre o Ebitda deverá subir para 1,9 e a geração de caixa operacional será de 11 vezes o valor da despesa com juro.

"São índices confortáveis de alavancagem", afirma um analista. Embora na sexta-feira as ações da Vale tenham caído com o anúncio da oferta, a estimativa do analista é de que a aquisição poderá elevar o lucro por ação da Vale em cerca de 7%, já considerando o custo do juro (de Libor mais 0,4 ponto percentual no primeiro ano e de Libor mais 0,6 ponto percentual no segundo ano). "Como a oferta é em dinheiro, e não em emissão de ações, não haverá diluição da participação de minoritários. Além disso, a Vale já anunciou que não lançará ações lá na frente para substituir o empréstimo-ponte. A idéia é usar outros instrumentos de financiamento mais longo", disse o analista.



Escrito por SALSFI às 06h48
[] [envie esta mensagem]


 
  

Vale deslancha a ofensiva para tentar comprar Inco

Vera Saavedra Durão, Ivo Ribeiro e Raquel Balarin 14/08/2006

A estratégia da Vale do Rio Doce para tentar sair vencedora na disputa internacional pela mineradora canadense Inco, pela qual ofereceu sexta-feira cerca de US$ 17,7 bilhões, envolve o compromisso a ser formalizado diante do governo do Canadá de que o grupo não vai demitir empregados, desmobilizar operações ou desativar unidades da empresa. O governo canadense tem poderes para barrar a transação se o plano da Vale não lhe agradar. Por isso, dois diretores da empresa brasileira vão entregar pessoalmente a proposta, contando com a ajuda de advogados e conselheiros no país.

A outra frente da batalha é seduzir os acionistas da Inco e garantir aos seus que eles não serão prejudicados. Tito Martins, diretor de assuntos corporativos da Vale, disse ontem ao Valor que a negociação não vai afetar o ritmo dos investimentos em curso nem os ganhos dos acionistas ou os dividendos. "Não há intenção da Vale de financiar a dívida feita com bancos via novas emissões de ações que possam diluir a participação dos minoritários", disse. A primeira reação dos investidores foi negativa.

A Vale, afirmou ele, não espera que os outros dois interessados na Inco - a Teck Cominco e a Phelps Dodge - façam novas ofertas, melhores que a sua. Também não prevê que alguma das três maiores mineradoras do mundo, Rio Tinto, BHP ou Anglo American, venha apresentar ofertas de compra da Inco. Caso saia vitoriosa, a Vale fechará o capital da Inco, mas não quer mudar o nome da empresa, que tem 104 anos.

Na opinião de analistas canadenses, a Vale pagará caro pela Inco se ganhar a disputa, ainda mais se a sua oferta abrir uma guerra com as rivais, já que as companhias do país estão excessivamente valorizadas. A engenharia financeira da operação, montada pelo Credit Suisse, envolveu só bancos europeus porque os americanos já estavam trabalhando para outras empresas envolvidas na disputa.



Escrito por SALSFI às 06h44
[] [envie esta mensagem]


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO
 11/09/2016 a 17/09/2016
 06/09/2015 a 12/09/2015
 18/01/2015 a 24/01/2015
 09/11/2014 a 15/11/2014
 26/10/2014 a 01/11/2014
 15/06/2014 a 21/06/2014
 06/04/2014 a 12/04/2014
 02/02/2014 a 08/02/2014
 13/10/2013 a 19/10/2013
 12/05/2013 a 18/05/2013
 21/04/2013 a 27/04/2013
 10/03/2013 a 16/03/2013
 10/02/2013 a 16/02/2013
 25/11/2012 a 01/12/2012
 29/07/2012 a 04/08/2012
 22/07/2012 a 28/07/2012
 08/04/2012 a 14/04/2012
 29/01/2012 a 04/02/2012
 11/09/2011 a 17/09/2011
 04/09/2011 a 10/09/2011
 28/08/2011 a 03/09/2011
 24/07/2011 a 30/07/2011
 10/07/2011 a 16/07/2011
 03/07/2011 a 09/07/2011
 29/05/2011 a 04/06/2011
 08/05/2011 a 14/05/2011
 17/04/2011 a 23/04/2011
 03/04/2011 a 09/04/2011
 27/03/2011 a 02/04/2011
 13/03/2011 a 19/03/2011
 06/03/2011 a 12/03/2011
 20/02/2011 a 26/02/2011
 06/02/2011 a 12/02/2011
 19/12/2010 a 25/12/2010
 05/12/2010 a 11/12/2010
 31/10/2010 a 06/11/2010
 12/09/2010 a 18/09/2010
 22/08/2010 a 28/08/2010
 01/08/2010 a 07/08/2010
 04/07/2010 a 10/07/2010
 27/06/2010 a 03/07/2010
 09/05/2010 a 15/05/2010
 02/05/2010 a 08/05/2010
 18/04/2010 a 24/04/2010
 11/04/2010 a 17/04/2010
 04/04/2010 a 10/04/2010
 28/03/2010 a 03/04/2010
 21/03/2010 a 27/03/2010
 14/03/2010 a 20/03/2010
 31/01/2010 a 06/02/2010
 24/01/2010 a 30/01/2010
 22/11/2009 a 28/11/2009
 25/10/2009 a 31/10/2009
 11/10/2009 a 17/10/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 03/05/2009 a 09/05/2009
 19/04/2009 a 25/04/2009
 22/03/2009 a 28/03/2009
 15/03/2009 a 21/03/2009
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 22/02/2009 a 28/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 11/01/2009 a 17/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 19/10/2008 a 25/10/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 10/08/2008 a 16/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 23/04/2006 a 29/04/2006
 09/04/2006 a 15/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 19/06/2005 a 25/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005
 24/04/2005 a 30/04/2005
 20/03/2005 a 26/03/2005
 13/03/2005 a 19/03/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005
 06/02/2005 a 12/02/2005
 23/01/2005 a 29/01/2005
 16/01/2005 a 22/01/2005
 19/12/2004 a 25/12/2004
 28/11/2004 a 04/12/2004
 21/11/2004 a 27/11/2004
 14/11/2004 a 20/11/2004
 07/11/2004 a 13/11/2004
 31/10/2004 a 06/11/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004



OUTROS SITES
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 ARTIGOS ECONÔMICOS
 CRÔNICAS E ARTIGOS


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!