SALSIFI INVESTMENTS
   COMO PREVIRA DOM ALESSANDRO

Antes do topo, o poço!
Por Adriana Cotias - Daniele Camba - Alex Sícoli - 13/06/2006


Está escrito nos gráficos: antes de o Índice Bovespa (Ibovespa) retomar a tendência de alta de longo prazo, o indicador pode ceder a níveis mais profundos. Os analistas técnicos - também conhecidos como grafistas, e que se fiam em leituras estatísticas sem dar a menor bola para os chamados fundamentos - identificam correções que podem jogar o índice para níveis entre 28 mil e 32 mil pontos, sendo que a maioria, por ora, ainda trabalha com a ponta mais alta. Só depois de chegar a esses níveis é que o índice poderia caminhar para os 42 mil pontos alcançados durante o pregão de 9 de maio. Mas a correção para baixo pode durar 12 meses.

Ontem, após uma queda de 4,33%, o Ibovespa encerrou o pregão com 33.554 pontos, uma desvalorização que já chega a 20,1% desde o pico do início de maio. No ano, o índice ainda acumula alta de 0,3%. A má notícia, segundo os adeptos da escola técnica, é que o tombo não vai parar por aí. Ao romper a marca dos 34 mil pontos, o indicador voltou ao nível que marcava a tendência de alta iniciada em maio de 2004, diz Fausto de Arruda Botelho, um dos precursores da análise técnica no Brasil e sócio da Enfoque Informações Financeiras. "Se o mercado continuar como está, os preços caminharão para correções mais acentuadas até os 28 mil pontos."

Por trás da arte dos gráficos está, entre outras tantas, uma teoria chamada de "seqüências de Fibonatti", que diz que tudo na natureza tem padrões de comportamento que se repetem, obedecendo certas freqüências matemáticas. Os analistas técnicos identificam tais freqüências nos movimentos da bolsa e ao observar o passado são capazes de projetar uma série de expectativas de preços futuros.

Daí saem termos como "resistência" (nível de preços em que pode haver pressão de venda), "suporte" (ponto que pode desencadear compras) ou os "canais de alta ou de baixa", formados entre duas retas paralelas, indicando bom momento para compra ou para venda. Analistas técnicos dizem que os gráficos dão pistas importantes também dos movimentos tanto dos fundamentalistas quanto de eventuais grupos com informações privilegiadas que se antecipam ao restante do mercado. Nem todos concordam com os grafistas, mas cada vez mais analistas fundamentalistas usam os gráficos como instrumento auxiliar.

Botelho exemplifica que semanas antes dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, os gráficos do índice Dow Jones davam claras indicações de fluxo vendedor. De alguma forma, o imponderável já começava a ser expresso nos preços das ações na Bolsa de Nova York. A hipótese mais plausível é de que ordens de venda ditadas pelo bilionário Osama Bin Laden e seus comandados já davam pistas do que ocorreria com os ativos nos mais diversos mercados.

Para o mercado brasileiro, a certeza é de que o tremor continuará vindo de fora, diz o analista técnico da Ágora Senior, Fernando Góes. "O Dow Jones também atingiu o seu ponto máximo quando encostou nos 11.700 pontos (em 10 de maio), o gráfico já configura um ombro-cabeça-ombro (uma figura de queda) e o Ibovespa tem feito exatamente os mesmos movimentos", diz. Para ele, o próximo ponto a ser testado pelo termômetro da bolsa local será os 32 mil pontos e se essa barreira for rompida, o novo poço será nos 29.500 pontos.

Desde 2002, o índice vinha de um movimento primário (de longo prazo) e secundário (de curto prazo) de alta e, por isso, é possível se imaginar um extenso período de baixa, prevê o chefe de análise da Planner Corretora Luiz Antonio Vaz das Neves. Para o especialista, após ceder abaixo dos 34.400 pontos, novas pressões de venda devem encaminhar o indicador para a casa dos 30 mil pontos. "Não é muito se lembrarmos que, há cerca de um ano, o Ibovespa estava nos 22 mil pontos." Após ter superado os 42 mil pontos, em 9 de maio, a bolsa brasileira entrou num período de baixa, que tem tudo para durar pelo menos um ano, diz Vaz das Neves.

"Depois de mais de três anos de alta, essa onda de correção de preços também será longa, bastante volátil e com movimentos acentuados, com dias de grandes altas, seguidos por quedas na mesma intensidade", alerta a analista gráfica da corretora Santander Banespa, Sílvia Afonso.

Dentro desse novo movimento de desvalorização, o Ibovespa caminha para os 32 mil pontos, estima a analista. Isso não significa, no entanto, que daqui pra frente as ações cairão sem parar pelo próximo ano inteiro. "O momento é de baixa, oscilando com dias de queda e outros de recuperação." O investidor que quiser aplicar em bolsa nesse meio tempo terá de redobrar a atenção para aproveitar os curtos períodos de alta. Apesar de a meta ser os 32 mil pontos, a analista projeta o Ibovespa entre 36 mil e 38 mil pontos no fim do ano. "Haverá pontos interessantes de compra."

Depois de o Ibovespa cair abaixo dos 35.500 pontos, no dia 7, os 32 mil pontos também se tornaram o novo prognóstico do gerente da corretora do HSBC Jeferson Amaral. "Esse é um ponto de resistência importante, foi exatamente nesse nível que o Ibovespa mudou de tendência em outubro e caiu até os 28.400 pontos, voltando aos 32 mil pontos só em dezembro."

As perspectivas para o mercado americano também são negativas, na visão dos grafistas, o que só reforça o caldo de más notícias para o Brasil. "Não dá para ignorar a enorme correlação entre a nossa bolsa e os principais mercados internacionais", afirma o gerente da HSBC Corretora. Recentemente, o Índice Dow Jones caiu abaixo dos 10.950 pontos, um nível de resistência importante, segundo Amaral, e agora deve buscar o próximo piso, em 10.750 pontos.

Mesmo olhando outro indicador, como o Standard and Poor's (S&P), as projeções de Sílvia, da corretora Santander Banespa apontam para o mesmo lado. O S&P está entrando num longo período de queda, bem maior que o do Ibovespa, e o próximo suporte será em 1.100 pontos, ou seja, ainda há muito o que cair em relação aos 1.200 pontos atuais.

No meio de tanta tristeza, a boa notícia é que este será apenas um movimento de correção e não de reversão da grande tendência de alta do Ibovespa, que começou em 1998, logo depois da crise da Rússia, e deve prosseguir pelo menos nos próximos dois anos. "Só depois disso é que podemos esperar uma reversão de tendência, que é quando a bolsa cai por quatro, cinco anos seguidos", diz Sílvia.


Escrito por SALSFI às 09h16
[] [envie esta mensagem]


 
  [ ver mensagens anteriores ]  
 
 
HISTÓRICO
 11/09/2016 a 17/09/2016
 06/09/2015 a 12/09/2015
 18/01/2015 a 24/01/2015
 09/11/2014 a 15/11/2014
 26/10/2014 a 01/11/2014
 15/06/2014 a 21/06/2014
 06/04/2014 a 12/04/2014
 02/02/2014 a 08/02/2014
 13/10/2013 a 19/10/2013
 12/05/2013 a 18/05/2013
 21/04/2013 a 27/04/2013
 10/03/2013 a 16/03/2013
 10/02/2013 a 16/02/2013
 25/11/2012 a 01/12/2012
 29/07/2012 a 04/08/2012
 22/07/2012 a 28/07/2012
 08/04/2012 a 14/04/2012
 29/01/2012 a 04/02/2012
 11/09/2011 a 17/09/2011
 04/09/2011 a 10/09/2011
 28/08/2011 a 03/09/2011
 24/07/2011 a 30/07/2011
 10/07/2011 a 16/07/2011
 03/07/2011 a 09/07/2011
 29/05/2011 a 04/06/2011
 08/05/2011 a 14/05/2011
 17/04/2011 a 23/04/2011
 03/04/2011 a 09/04/2011
 27/03/2011 a 02/04/2011
 13/03/2011 a 19/03/2011
 06/03/2011 a 12/03/2011
 20/02/2011 a 26/02/2011
 06/02/2011 a 12/02/2011
 19/12/2010 a 25/12/2010
 05/12/2010 a 11/12/2010
 31/10/2010 a 06/11/2010
 12/09/2010 a 18/09/2010
 22/08/2010 a 28/08/2010
 01/08/2010 a 07/08/2010
 04/07/2010 a 10/07/2010
 27/06/2010 a 03/07/2010
 09/05/2010 a 15/05/2010
 02/05/2010 a 08/05/2010
 18/04/2010 a 24/04/2010
 11/04/2010 a 17/04/2010
 04/04/2010 a 10/04/2010
 28/03/2010 a 03/04/2010
 21/03/2010 a 27/03/2010
 14/03/2010 a 20/03/2010
 31/01/2010 a 06/02/2010
 24/01/2010 a 30/01/2010
 22/11/2009 a 28/11/2009
 25/10/2009 a 31/10/2009
 11/10/2009 a 17/10/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 03/05/2009 a 09/05/2009
 19/04/2009 a 25/04/2009
 22/03/2009 a 28/03/2009
 15/03/2009 a 21/03/2009
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 22/02/2009 a 28/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 11/01/2009 a 17/01/2009
 28/12/2008 a 03/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 19/10/2008 a 25/10/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 24/08/2008 a 30/08/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 10/08/2008 a 16/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 25/05/2008 a 31/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 03/02/2008 a 09/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 06/01/2008 a 12/01/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 08/07/2007 a 14/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 06/05/2007 a 12/05/2007
 01/04/2007 a 07/04/2007
 25/03/2007 a 31/03/2007
 25/02/2007 a 03/03/2007
 28/01/2007 a 03/02/2007
 31/12/2006 a 06/01/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006
 10/12/2006 a 16/12/2006
 19/11/2006 a 25/11/2006
 12/11/2006 a 18/11/2006
 29/10/2006 a 04/11/2006
 22/10/2006 a 28/10/2006
 15/10/2006 a 21/10/2006
 08/10/2006 a 14/10/2006
 01/10/2006 a 07/10/2006
 24/09/2006 a 30/09/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 27/08/2006 a 02/09/2006
 20/08/2006 a 26/08/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 30/07/2006 a 05/08/2006
 16/07/2006 a 22/07/2006
 25/06/2006 a 01/07/2006
 18/06/2006 a 24/06/2006
 11/06/2006 a 17/06/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 14/05/2006 a 20/05/2006
 07/05/2006 a 13/05/2006
 23/04/2006 a 29/04/2006
 09/04/2006 a 15/04/2006
 02/04/2006 a 08/04/2006
 05/03/2006 a 11/03/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 12/02/2006 a 18/02/2006
 29/01/2006 a 04/02/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 25/12/2005 a 31/12/2005
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 20/11/2005 a 26/11/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 30/10/2005 a 05/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005
 10/07/2005 a 16/07/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 26/06/2005 a 02/07/2005
 19/06/2005 a 25/06/2005
 29/05/2005 a 04/06/2005
 24/04/2005 a 30/04/2005
 20/03/2005 a 26/03/2005
 13/03/2005 a 19/03/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005
 06/02/2005 a 12/02/2005
 23/01/2005 a 29/01/2005
 16/01/2005 a 22/01/2005
 19/12/2004 a 25/12/2004
 28/11/2004 a 04/12/2004
 21/11/2004 a 27/11/2004
 14/11/2004 a 20/11/2004
 07/11/2004 a 13/11/2004
 31/10/2004 a 06/11/2004
 17/10/2004 a 23/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004



OUTROS SITES
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 ARTIGOS ECONÔMICOS
 CRÔNICAS E ARTIGOS


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!